PROTOCOLO INTERNO CONVID 19

PLANO DE CONTINGÊNCIA COVID 19

 

Este Protocolo Interno e plano de contingência COVID-19 é constituído por um conjunto de informação e de medidas para prevenir o contágio do Covid-19 quer para clientes como para colaboradores de forma a zelar pela segurança e conforto de todos.

Existirá sempre ao serviço um colaborador da Direcção ou da Recepção responsável por accionar os procedimentos em caso suspeito de infecção, que acompanhará a pessoa com sintomas ao espaço de isolamento, prestar-lhe a assistência necessária e contactar o serviço nacional de saúde através da linha SNS 24.

 

GENERALIDADES

Procedimentos Gerais para Prevenção do Contágio

  • Reforço das medidas de higiene, com intensificação dos desinfectantes, em todas(botões dos elevadores, maçanetas das portas, corrimãos das escadas);
  • as áreas comuns do hotel e desinfeção regular das superfícies das áreas comuns
  • Será criado um espaço de isolamento para Clientes desejavelmente o quarto ocupado pelo mesmo e o de Trabalhadores sala na recepção;
  • Será privilegiado as comunicações com fornecedores e colaboradores por e-mail ou
  • telemóvel;
  • Será arejada todas as áreas várias vezes por dia;
  • Os registos de higienização e desinfecção seguem os formulários e procedimentos já existentes.

Sensibilização e formação

  • Será disponibilizado a todos os Colaboradores e Clientes, as precauções básicas de prevenção e controlo de infecção este protocolo interno e plano de contingência, através dos canais on-line;
  • Os colaboradores terão formação sobre a doença, mas principalmente sobre os procedimentos que devem ser adoptados individualmente e em grupo, nomeadamente:
    • Higienização das mãos: lavar as mãos frequentemente com água e sabão, durante pelo menos 20 segundos ou usar desinfectante para as mãos que tenha pelo menos 70% de álcool, cobrindo todas as superfícies das mãos e esfregando-as até ficarem secas.
    • Etiqueta respiratória: tossir ou espirrar para o antebraço flectido ou usar lenço de papel, que depois deve ser imediatamente deitado ao lixo; Higienizar as mãos sempre após tossir ou espirrar e depois de se assoar; Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos.
    • Conduta social: alterar a frequência e a forma de contacto entre os trabalhadores e entre estes e os clientes, evitando (quando possível) o contacto próximo, apertos de mão, beijos, postos de trabalho partilhados, reuniões presenciais e partilha de comida, utensílios, copos e toalhas.
    • Normas operacionais
    • Novos procedimentos de higiene e segurança
  • Serão afixados cartazes de sensibilização e informação promovendo boas práticas e as orientações da Direcção Geral da Saúde, tanto nas zonas publicas como nas zonas destinadas aos colaboradores.
  • Os colaboradores devem comunicar ao seu Responsável sempre que tenham estado em contacto próximo e/ou directo com alguém infectado pela COVID-19 ou com sintomas compatíveis com a doença. Neste caso, em particular, devem monitorizar o seu estado de saúde, medindo a temperatura corporal duas vezes por dia, registando os valores e estar atentos a tosse ou a dificuldades respiratórias.
  • Os colaboradores estão sensibilizados que devem ainda evitar cumprimentos sociais com contacto físico.

Regras básicas de higiene pessoal e prevenção

São asseguradas que todos os colaboradores cumprem, uma rigorosa higiene pessoal e se apresentam em bom estado de saúde, sem sintomas compatíveis com a COVID-19 ou com outra patologia, nomeadamente:

  • Evitar contacto próximo com pessoas que tenham sintomas de doenças respiratórias;
  • Adoptar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Se tiver sintomas de doenças respiratórias, use máscaras para limitar a propagação dessas doenças;
  • Não partilhe comida, utensílios, copos e toalhas. Use uma colher para se servir;
  • Evite tocar nos olhos, nariz ou boca com as mãos sujas;
  • Lavagem das Mãos
    • Lave frequentemente as mãos com água e sabão ou use solução à base de
    • álcool;
    • A lavagem das mãos deve demorar entre 40 e 60s;
    • Se tiver acabado de o fazer, não toque directamente na maçaneta da porta,
    • use o cotovelo ou uma toalha de papel para a abrir;
    • Lave as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
    • A lavagem das mãos deve passar pelas seguintes fases:

O Hotel Maré possui

  • Equipamentos de protecção individual em número suficiente para todos os trabalhadores;
  • Equipamento de protecção individual disponível para clientes a pedido, luvas e mascaras (capacidade máxima do estabelecimento);
  • Stock de materiais de limpeza de uso único proporcional às suas dimensões, incluindo toalhetes de limpeza de uso único humedecidos em desinfectante, lixívia e álcool a 70º;
  • Dispensadores de solução anticéptica de base alcoólica ou solução à base de álcool junto aos pontos de entrada/saída, e junto aos elevadores à entrada da Sala de Pequenos Almoços e junto às instalações sanitárias comuns.
  • Contentor de resíduos com abertura não manual e saco plástico.
  • Local para isolar pessoas que possam ser detectadas como casos suspeitos ou casos confirmados de COVID-19, que tem ventilação natural, e possui revestimentos lisos e laváveis, casa de banho, stock de materiais de limpeza, máscaras cirúrgicas e luvas descartáveis, termómetro, contentor de resíduos autónomo, sacos de resíduos, sacos de recolha de roupa usada, Kit com água e alguns alimentos não perecíveis.
  • Nas instalações sanitárias, equipamento para lavagem de mãos com sabão líquido e toalhetes de papel.

O Hotel Maré assegura

  • Lavagem e desinfecção, de acordo com o protocolo interno, das superfícies onde colaboradores e clientes circulam, garantindo o controlo e a prevenção de Infecções e resistências aos antimicrobianos conforme plano de higienização;
  • Limpeza, várias vezes ao dia, das superfícies e objectos de utilização comum (incluindo balcões, interruptores de luz e de elevadores, maçanetas, puxadores de armários) conforme plano de higienização;
  • Ser dada preferência à limpeza húmida, em detrimento da limpeza a seco e do uso de aspirador de pó;
  • A renovação de ar das salas e espaços fechados é feita regularmente;
  • Nas zonas de restauração sala dos pequenos-almoços, o reforço da higienização dos utensílios, equipamentos e superfícies e evitada quando possível ao máximo a manipulação directa dos alimentos por clientes e colaboradores e a utilização de materiais descartáveis como toalhas e guardanapos de papel.

 

O Protocolo de Limpeza e Higienização do Hotel Maré garante

  • Lavagem e desinfecção, de acordo com o presente protocolo interno, das superfícies onde colaboradores e clientes circulam, garantindo o controlo e a prevenção de infecções e resistência aos antimicrobianos.
  • A definição de cuidados específicos para troca da roupa de cama e limpeza nos quartos, privilegiando dois tempos de intervenção espaçados e com protecção adequada;
  • A remoção da roupa de cama e atoalhados feita sem a agitar ou sacudir, enrolando-a no sentido de dentro para fora, sem encostar ao corpo e transportando-a directamente para a máquina de lavar;
  • A lavagem em separado à máquina e a temperaturas elevadas da farda dos colaboradores e da roupa de cama/atoalhados (cerca de 60ºC);
  • Reforço da limpeza e desinfecção contínua de áreas e de objectos de maior foco descontaminação, e Produtos para desinfecção de superfícies tais como:
    • Elevadores (inclusive botões no interior e exterior)
    • Corrimões
    • Casas-de-banho e balneários
    • Balcões
    • Chaves de quartos
    • Loiça, talheres, etc, deverão ser lavados directamente na máquina de lavar loiça
    • Manípulos portas
    • Telefones quartos
    • Comandos de TV e AC
    • Interruptores de luz

 

  • Aspiradores a pó com filtros HEPA;
  • Aspiradores a água para desinfecção;

 

ÁREAS DO HOTEL MARÉ

 

HOUSEKEEPING

 

  1. Limpeza e desinfecção

Medidas efectuadas:

  • É reforçada a melhoria dos serviços de higiene
  • Os colaboradores colocam o equipamento de protecção, antes de entrar no quarto do hóspedes.
  • Todos os colaboradores estarão equipados com EPI tais como, avental descartável, máscara e luvas.
  • É aplicado novas medidas de limpeza e desinfecção em áreas comuns (wc, salas, corredores, elevadores, etc.).
  • Os colaboradores despem o quarto, tendo o cuidado de não sacudir a roupa.Retiram a roupa, embrulhando de fora para dentro e colocam no saco.
  • Os colaboradores desinfetam todo o mobiliário, incluindo os equipamentos críticos.
  • Os colaboradores desinfetam as casas de banho, com particular atenção para torneiras, pegas de banheira e bancadas.
  • É reforçada a limpeza e desinfecção de objectos que são frequentemente tocados, tais como puxadores, botões de elevador, corrimãos, interruptores, maçanetas de porta, telefone, equipamento de controlo remoto etc.
  • É reforçado a limpeza e desinfecção dos quartos e WC.
  • É utilizado sempre que possíveis materiais de limpeza de uso único.
  • Os baldes e esfregonas para o chão e alguns panos de limpeza são habitualmente reutilizáveis nesse sentido é garantido a sua desinfecção no final de cada utilização.
  • Os baldes e esfregonas dos pisos só é utilizado nesses pisos, ou seja será diferenciados os equipamentos dos quartos, das áreas comuns e dos espaços de restauração.
  • Como parte do plano de acção do Hotel para o COVID-19, haverá um plano especial de limpeza e desinfecção para situações em que existam hóspedes ou colaboradores doentes alojados no estabelecimento ou identificados com o COVID-19 de acordo com as directivas da DGS.
  • Estão disponíveis aparelhos de desinfecção das mãos junto às portas dos elevadores e nos carros de housekeeping.
  • São ventiladas todas as áreas comuns diariamente.
  1. Vigilância dos hóspedes doentes
  • O pessoal de limpeza tem que informar a direcção ou o balcão da recepção de quaisquer incidentes pertinentes, incluindo, eventualmente, hóspedes doentes nos seus quartos. Devem tratar todas estas informações com discrição.

3.Disponibilidade dos materiais

  • O pessoal de limpeza deve receber formação sobre a utilização do equipamento de protecção pessoal e ser dotado desse equipamento, tal como a seguir indicado:
    • – Luvas
    • – Mascara
    • - Aventais descartáveis
    • - Sapatos fechados
  • Devem também ter acesso a soluções desinfectantes e outros fornecimentos em quantidade suficiente.

Sala de pequeno-almoço e bar

  1. Informação e comunicação
  • Nas zonas de restauração e bebidas, o reforço da higienização dos utensílios, equipamentos e superfícies e é evitada ao máximo a manipulação direta dos alimentos por clientes e colaboradores;
  • Sempre que possível os hospedes devem solicitar que o pequeno almoço seja servido em tabuleiro no quarto;
  • Quando seja tomado o pequeno-almoço na sala do 5 piso os hóspedes são informados que deverão à entrada e saída que devem desinfectarem as mãos com gel desinfectante que se encontra à entrada da sala.
  • Todos os colaboradores estarão equipados com EPI tais com máscara e luvas.
  • Está colocado na entrada da de pequenos-almoços um dispositivo com gel desinfectante de mãos, tal como informação ao cliente sobre distanciamento social.
  • Os fornecedores não entram no Hotel, a recepção de mercadorias é feita fora da unidade.
  • Ao recepcionar as mercadorias no 5 piso as mesmas devem ser colocadas de imediato no espaço de armazenamento, frios ou dispensas.
  • No espaço de recepção de mercadorias as mesmas são retiradas das embalagens de cartão e desinfetadas.
  • Não são utilizadas caixas de transportes dos fornecedores nos circuitos internos do hotel.
  1. Buffets e máquinas de bebidas
  • No buffet, os hóspedes não podem manusear os alimentos com as mãos.
  • As tenazes e colheres e conchas são trocadas com frequência;
  • Será garantido o espaço entre as mesas para salvaguardar o distanciamento social
  • Os hóspedes devem garantir o distanciamento social entre eles;
  • Será reforçada a limpeza e desinfecção das superfícies dos buffets e das mesas após cada serviço;
  • As máquinas de café, as máquinas de sumos e outras, em especial as peças mais em contacto com as mãos dos utilizadores, são limpas e desinfectadas várias vezes durante o serviço.
  1. Lavagem de pratos, inox e roupa de mesa
  • São assegurados todos os procedimentos habituais. Todos os pratos, inox e artigos de vidro são lavados e desinfectados numa máquina de lavar louça, incluindo artigos que não tenham sido utilizados, pois podem ter estado em contacto com as mãos dos hóspedes ou do pessoal.
  • Os talheres e outros utensílios de inox antes de serem colocados na mesa serão desinfetados com álcool.
  1. Colocação das toalhas de mesa
  • Será cumprido o distanciamento de recomendação da OMS ter um máximo de 4 pessoas por 10 metros quadrados. As mesas devem estar dispostas de modo a que a distância entre as costas de uma cadeira e as costas de outra cadeira seja superior a 1 m e que os hóspedes se virem uns para os outros a uma distância de, pelo menos, 1 m.
  • Assegurar que são utilizados somente guardanapos e toalhetes de papel descartáveis.
  • Assegurar a desinfecção da mesa após a saída do cliente.

 

  1. Room Service

O serviço de quartos pode ser a forma mais segura de fornecer serviços de F&B nomeadamente o pequeno almoço no hotel.

  • Cobrir todos os alimentos e bebidas.
  • Colocar no banco, no exterior do quarto, o tabuleiro ao lado da porta, bater à porta e afastar-se para uma distância de segurança (2m).

 

Recepção

  1. Informação e comunicação
  • Os colaboradores da recepção estão suficientemente informados sobre a COVID-19 de forma a desempenhar com segurança as tarefas que lhe são atribuídas e evitar a possível propagação da COVID-19 no interior do estabelecimento.
  • Os colaboradores estão munidos da informação necessária para informar os hóspedes que sobre a política do estabelecimento em termos das medidas preventivas estabelecidas ou outros serviços que os hóspedes possam necessitar (por exemplo, serviços médicos e farmacêuticos disponíveis na área ou no próprio estabelecimento).
  • Será reforçada a informação junto dos clientes sobre as medidas de afastamento social, juntamente com a frequente higiene das mãos e a etiqueta respiratória como uma forma de hospitalidade.
  • O pessoal do balcão de recepção está familiarizado com a política de ocupação dos quartos pelos acompanhantes em caso de suspeita de um caso de COVID-19.
  • O balcão de recepção tem imediatamente disponíveis os números de telefone das autoridades sanitárias, dos centros médicos, dos hospitais públicos e privados e dos centros de assistência para utilização sempre que haja a possibilidade de um hóspede estar doente.
  • Os hóspedes com sintomas respiratórios são aconselhados a permanecerem nos seus quartos até serem atendidos por um médico assistente, bem como a fornecerem recomendações básicas de higiene quando lhes for pedido.
  • Existe na recepção mascaras que são cedidas gratuitamente a pedido do cliente.
  •  
  1. Procedimentos Check-In e Check-out
  • O atendimento ao cliente é feito obrigatoriamente com mascara.
  • É obrigatório a manutenção da regra de distanciamento social
  • Está disponível na recepção produto desinfectante ao serviço dos clientes.
  • Para todos os hospedes com reservas, todas as formalidades de check-in deve ser concluídas on-line.
  • É enviado ao Cliente um email a informar que deve fazer o seu pré check-in através do formulário disponível no site WEBCHECKIN
  • O cliente deverá informar a recepção quando pretende efectuar o check-out para que todas as contas estejam finalizadas no momento da saída evitando tempos de espera que proporcionam aglomerados de clientes
  • Estará disponível na recessão EPI destinados aos clientes sempre que solicitado pelos mesmos
  • É aconselhável a não atribuição de quartos lado a lado excepto quando solicitado pelo cliente.
  • Não é aconselhável o transporte da bagem do cliente excepto em casos especiais onde o recepcionista deve utilizar luvas para o efeito.
  • É informado o cliente sobre as medidas tomadas pelo hotel no que respeita ás normas de higiene e segurança, normas operacionais.
  • Afastar-se do balcão, sempre que o hóspede de aproxime.

 

  1. kit médico na recepção para fins de confinamento

Existe na recepção um kit médico com os seguintes itens:

  • - Desinfectante/lavagem germicida para limpeza de superfícies Tecidos.
  • - Máscaras faciais
  • - Luvas (descartáveis)
  • - Avental protector (descartável)
  • - Saco de resíduos biodegradáveis descartáveis
  • - Termómetro
  • - Saco de recolha de roupa usada
  • - Água
  • - Alimentos não perecíveis

 

  1. Medidas de afastamento social, limpeza das mãos e higiene respiratória

Os colaboradores da recepção estão obrigados a cumprir:

  • O distanciamento social inclui o abster-se de abraçar, beijar ou apertar a mão aos hóspedes, bem como entre o pessoal. Implica manter uma distância de pelo menos 1 m e evitar qualquer pessoa que esteja a tossir ou a espirrar.
  • Higiene das mãos significa limpar as mãos regularmente e minuciosamente com uma fricção das mãos à base de álcool ou lavá-las com água e sabão. Evitar também tocar nos olhos, nariz e boca. A desinfecção das mãos é indicada após a troca de objectos (dinheiro, cartões de crédito) com os hóspedes.
  • Etiqueta respiratória significa cobrir a boca e o nariz com cotovelo ou tecido dobrado ao tossir ou espirrar.
  •  
  1. Vigilância dos hóspedes eventualmente doentes

Os colaboradores da recepção são aconselhados, enquanto se observa a regulamentação relativa à protecção dos dados pessoais e ao direito à privacidade, a vigiar os hóspedes potencialmente doentes.

Os colaboradores da recepção devem tratar todas estas informações com discrição, deixando ao critério da direcção e dos serviços médicos a avaliação da situação e a tomada de decisões adequadas.

 

Serviços técnicos e de manutenção

  1. Desinfecção da água

Asseguramos que a concentração de desinfectante na água para consumo está dentro dos limites recomendados de acordo com as normas e padrões internacionais.

  1. Equipamento de lavagem de louça e de lavandaria

Será assegurado o bom funcionamento do equipamento de lavagem da louça e da roupa, em particular as temperaturas de funcionamento, bem como a dosagem correcta dos produtos químicos de limpeza e desinfecção.

  1. Climatização

Será assegurada a verificação do bom funcionamento dos A/C `s e lavagem e desinfecção dos filtros.

  1. Dispensadores

São efectuados controlos regulares para assegurar o bom funcionamento dos distribuidores de sabão e de soluções desinfectantes, dos distribuidores de tecidos descartáveis e de outros dispositivos semelhantes.

 

PROTOCOLO DOENTES COVID 19 (suspeitos ou confirmados)

Até que exista uma vacina para a COVID-19 e esta seja ministrada de uma forma generalizada, a probabilidade de estarmos perante um caso suspeito, isto é, uma pessoa com sintomas compatíveis com a doença, é considerável.

O local ideal para isolamento definido é o Quarto do Cliente ou um quarto a indicar pela recepção ou direcção. Após detecção do caso suspeito ou confirmado pelos Serviços Locais de Saúde será colocado o “KIT de Isolamento” no Quarto.

 

  1. Procedimentos Gerais em caso de suspeito de infeção
  • Dar ao doente (caso suspeito COVID-19) uma máscara cirúrgica, desde que a sua condição clínica o permita. A máscara deverá ser colocada pelo próprio doente.
  • Colocar em isolamento no quarto do cliente ou em espaço criado para o efeito, e manter contacto à distância.
  • O doente deve contactar de imediato a linha de Saúde 24 (808 24 24 24).
  • Distribuir pelas pessoas envolvidas os EPI´s apropriados (luvas, máscaras, batas descartáveis).
  • Providenciar a desinfecção dos locais
    • Se for colaborador, isolar e desinfectar o local de trabalho;
    • Se for cliente, isolar e desinfectar as áreas comuns onde passou.
  • Informar todas as pessoas que estiveram em contacto com a pessoa infetada, para
  • manterem vigilância e avisar em caso de sinais ou sintomas suspeitos.

     

       2. Procedimentos em caso de suspeita de infecção de Colaborador 

  • Qualquer trabalhador com sinais e sintomas de COVID-19 e ligação epidemiológica, ou que identifique um trabalhador na empresa com critérios compatíveis com a definição de caso suspeito, informa a chefia directa (preferencialmente por via telefónica) e dirige-se para a área de “isolamento”, definido junto á recepção.
  • O Trabalhador doente (caso suspeito de COVID-19) já na área de isolamento, contacta
  • o SNS 24 (808 24 24 24);
  • Após avaliação, caso o SNS 24 informe o Trabalhador sobre a validação:
    • DGS activa o INEM, iniciando-se a investigação epidemiológica e a gestão de contactos;
  • O trabalhador doente deverá permanecer na área de isolamento (com máscara cirúrgica, desde que a sua condição clínica o permita), até à chegada da equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), activada pela DGS, que assegura o transporte para o Hospital de referência;
  • O acesso dos outros trabalhadores à área de “isolamento” fica interditado (excepto aos colaboradores designados para prestar assistência);
  • A área de “isolamento” deve ficar interditada até à validação da descontaminação (limpeza e desinfecção).

 

       3. Procedimentos em caso de suspeita de infecção de Cliente

  • A pessoa doente não deve sair do hotel.
  • Qualquer Cliente com sinais e sintomas de COVID-19 e ligação epidemiológica, ou que identifique outro Cliente com critérios compatíveis com a definição de caso suspeito, deverá informar a recepção por via telefónica.
  • Não se deve dirigir ao centro de saúde, a consultório privado ou à urgência do hospital;
  • No caso em que o Cliente esteja na sua Unidade de Alojamento aquando da manifestação da queixa, deverá permanecer no quarto, que funcionará como Sala de Isolamento.
  • Caso, ao invés, o Cliente não esteja na sua Unidade de Alojamento, então deverá ser
  • encaminhado para a mesma.
  • Caso a pessoa suspeita seja um Cliente, deverá ser a unidade hoteleira a contactar o SNS 24 (808 24 24 24);
  • Aguardar as instruções dos profissionais de saúde que o vão atender e a decisão clínica.
  • O profissional de saúde do SNS 24 questiona quanto a sinais e sintomas e ligação epidemiológica compatíveis com um caso suspeito de COVID-19. Após avaliação, o SNS24 informa sobre a validação ou não validação.
  • Após avaliação, caso o SNS 24 informe sobre a não validação, o hotel deverá informar o Cliente dessa não validação.
  • Após avaliação, caso o SNS 24 informe sobre a validação, a DGS activa o protocolo definido, iniciando-se a investigação epidemiológica e a gestão de contactos.
  • O Cliente doente deverá permanecer na área de isolamento (com máscara cirúrgica,
  • desde que a sua condição clínica o permita), até à chegada da equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), activada pela DGS, que assegura o transporte para o Hospital de referência;
  • O acesso dos outros Clientes ou de Trabalhadores à área de isolamento fica interditado (excepto aos colaboradores designados para prestar assistência);
  • A área de isolamento deve ficar interditada até à validação da descontaminação(limpeza e desinfecção).

 

       4. Protocolo de higienização para situações de emergência.

        Este Protocolo de Higienização de Emergência passa por:

  • Reforço de higienização com R2 e desinfectado com Peróxido de Hidrogénio com maior frequência;
  • Desinfecção com maior frequência das superfícies das zonas públicas comuns com Peróxido de Hidrogénio (sala de pequenos almoços, bar, recepção, corredores, elevadores, etc.);
  • Aqui inclui-se a desinfecção de botões de elevadores, puxadores de portas, corrimãos, linhas de buffet e todos os sítios em que alguém doente possa ter colocado as mãos;
  • Reforço da frequência da higienização e desinfecção das mãos com solução álcool gel;
  • A loiça utilizada pelo doente no quarto terá de ser desinfectada com Peróxido de Hidrogénio antes de ir ser lavada com a restante loiça.
  • Para evitar dispersão do vírus esta lavagem deve ser feita pelo Housekeeping, mais especificamente por quem foi ao quarto, na copa do bar.
  • Se for necessário que alguém se dirija ao quarto onde está o cliente contaminado, ou que tenha contacto com ele, é essencial o uso de luvas e máscaras, que depois deverão ser imediatamente descartadas para o lixo em sacos fechados.

 

       5. Protecção dos profissionais responsáveis por manter a acomodação dos clientes

       As pessoas que tratam da roupa de cama ou do quarto de um caso suspeito ou confirmado e as pessoas que realizam as limpezas no alojamento, desde que cumpram as medidas de protecção recomendadas e garantam o  controlo da exposição ao risco de transmissão, não correm riscos desnecessários. No entanto, o risco de transmissão pode, contudo, ser real em caso de acidente, ou se não forem cumpridas integralmente as medidas de protecção recomendadas.

Todos os profissionais responsáveis por manter a acomodação dos clientes têm formação e treino e estão protegidos com os EPI adequados.

Durante a fase de possível epidemia ou perante um caso suspeito de COVID-19, as equipas encarregues do tratamento de roupa de cama e da limpeza dos quartos, ficam mais expostos ao risco de aerossóis, pelo que se devem proteger, em particular, com os equipamentos de protecção adequados (EPI):

  • - Máscara;
  • - Avental de plástico sobre a farda e luvas (preferencialmente descartáveis, de nitrilo).

O fardamento e os equipamentos de protecção individual (EPI) devem ser diferentes, dependendo do tipo de intervenção ou tarefa e do risco de exposição.

A farda destes profissionais não pode ser levada para lavar em casa - deve ser lavada em máquina, na lavandaria da unidade, a temperaturas elevadas.

Após mudar a roupa da cama e os atoalhados do quarto da pessoa suspeita ou doente comCOVID-19, é desejável esperar também um tempo (período de latência) para iniciar a limpeza dos quartos.

 

       6. Mudança de roupa dos quartos e limpeza e desinfecção das instalações

Dado que a intervenção de mudança de roupa da cama gera aerossóis, ter-se-á de separar as duas intervenções: mudança de roupa e limpeza. Deve-se dar um tempo de espera entre estas duas tarefas - respeitar um tempo de pelo menos 2-3 horas entre retirar lençóis e roupas de cama e atoalhados, e realizar a limpeza de pisos e superfícies.

É necessário equipar os profissionais encarregados de remover roupa e realizar a limpeza, com:

  • Bata;
  • Luvas não esterilizadas;
  • Máscara de protecção respiratória do tipo FFP2.

 Ao remover a roupa de cama e atoalhados deverão ser seguidas as seguintes regras:

  • Não agitar a roupa de cama;
  • Retirá-la sem a sacudir, enrolando-a no sentido de dentro para fora, fazendo um
  • “embrulho”;
  • Não encostar a roupa ao corpo;
  • Transportar as roupas individualmente para a lavandaria;

 

A roupa deve ser lavada à temperatura mais alta que puder suportar (dependendo da Termo resistência) – ciclo de desinfecção pelo calor (pelo menos a 60ºC durante 30 minutos, ou entre 80-90ºC, com 10 minutos de contacto do calor com a roupa);

Se a roupa não puder ser lavada a quente, deve ser lavada na máquina a temperatura entre 30- 40ºC e a um ciclo de desinfecção final na máquina, com um desinfectante apropriado a este tipo de roupa e compatibilidade com a máquina.

Os resíduos recolhidos no quarto, devem ser acondicionados num primeiro saco bem fechado, que depois é depositado no 2.º saco. O 2.º saco deve ser identificado como resíduos biológicos e tratados por incineração.

O coronavírus (MERS-CoV-2) provavelmente pode sobreviver durante horas em superfícies seca se até 6 dias, em superfícies com humidade.

 

A limpeza húmida será utilizada por preferência em detrimento da limpeza a seco.

 

Não é adequado o uso de aspirador de pó sem filtros HEPA, porque põe em movimento no ar, as gotículas, nas quais o vírus pode estar contido e transforma-as em aerossóis.

 

Deve-se cumprir o seguinte procedimento para a limpeza dupla de pisos e superfícies:

  • Limpar as superfícies de cima para baixo e no sentido das áreas mais limpas para as mais sujas;
  • Usar panos de limpeza de uso único, diferentes e exclusivos para a área do quarto e para as casas de banho;
  • O balde e esfregona de limpeza da casa de banho deve ser diferente do balde de limpeza e esfregona a usar no quarto;
  • Para lavar as superfícies: pode usar-se detergentes de uso comum;
  • Para desinfecção de superfícies utilizar o Peróxido de Hidrogénio de acordo com a OMS;

VERSÃO ORIGINAL MAIO 2020

;

FIQUE A PAR DAS NOSSAS PROMOÇÕES

Frequentemente criamos ofertas especiais e enviamo-las por email aos nossas clientes,para que estejam sempre a par dos nossas descontos e promoções


Campos incompletos


Os campos assinalados são obrigatórios.

Campos incompletos

Subscrição efectuada com sucesso


Obrigado por subscrever a nossa newsleter.
Deve verificar a sua caixa de e-mail para validar a subscrição.

Subscrição efectuada com sucesso

Erro na subscrição.


Por favor tente mais tarde.

Erro na subscrição.

// Morada

Rua Mouzinho de Albuquerque N.10
2450-255 Nazaré
PORTUGAL

// Mais Informações

geral@hotelmare.pt

// Reservas

reservas@hotelmare.pt

// Contactos

T.+351 262 550 180
F.+351 262 550 181

© 2020 Hotel Maré Developed by Alencastre.net . Powered by Umbraco